Fake News, negacionismo e dados escondidos estão entre os problemas apontados

 

A Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública entregou aos senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, conhecida como CPI da Pandemia, um dossiê de 119 páginas sobre o uso indevido dos veículos e agências públicos da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) para disseminar desinformação e negacionismo sobre a pandemia de Covid-19.

De acordo com o documento, “fica evidente o uso do aparato público de comunicação pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para difusão de fake news e desinformação sobre a gravíssima situação da Covid-19 em nosso país”.

O levantamento compila uma série de relatórios, dossiês e notas sobre o desvirtuamento dos veículos públicos para divulgar ações e programas do governo federal, o que é ilegal de acordo com a Constituição Federal e com as normas que regem a EBC e o sistema público de comunicação no país.

As denúncias vêm sendo feitas pelas entidades representativas dos trabalhadores e pela Frente, que é formada por dezenas de entidades da sociedade civil, acadêmicas, jornalistas e pesquisadores.

Entre os relatos reunidos no dossiê estão o lançamento desta Ouvidoria Cidadã da EBC; omissões apontadas pela própria Ouvidoria da EBC na cobertura da pandemia, tendo sido censurada após isso; episódios de censura sofrida pelos jornalistas da casa; omissão de informações importantes como os marcos de 400 mil e de 500 mil mortes pela Covid-19 no país; o uso indevido de material institucional do Ministério da Saúde pelos veículos públicos; o negacionismo e mentiras propalados pelo presidente Jair Bolsonaro em entrevista exclusiva à EBC, fruto de análise nesta Ouvidoria Cidadã (https://ouvidoriacidadaebc.org/exclusiva-para-palanque-e-negacionismo/); e a admissão do ex-secretário da Secom Fábio Wajngarten de que a EBC foi utilizada para a comunicação do governo na pandemia, numa clara confusão entre comunicação de governo e o que deveria ser comunicação pública.

Os anexos trazem inúmeras matérias e notas publicadas na grande imprensa, como Folha de São Paulo, O Globo, UOL e Metrópole, além de sites especializados como Portal Imprensa e material produzido pela Comissão de Empregados da EBC, Sindicato dos Jornalistas e dos Radialistas e pela ex-ouvidora da EBC Joseti Marques.

O dossiê também foi notícia. Confira abaixo:

https://www.metropoles.com/colunas/guilherme-amado/funcionarios-da-ebc-relatam-a-cpi-cenario-de-censura-e-negacionismo

https://economia.uol.com.br/colunas/carla-araujo/2021/09/27/renan-incluira-ebc-como-orgao-que-disseminou-fake-news-em-relatorio-da-cpi.htm

https://oglobo.globo.com/politica/cpi-da-covid-renan-deve-incluir-ebc-como-disseminadora-de-fake-news-em-relatorio-final-2-25214778

https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,funcionarios-da-ebc-relatam-a-cpi-da-covid-censura-na-pandemia,70003852711

A Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública segue atenta aos desmandos que vem ocorrendo dentro da empresa e espera que essas denúncias façam retornar à EBC os princípios democráticos sob os quais ela foi criada.

1 comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário