Uma das rotinas dos jornalistas é conferir o que foi publicizado no Diário Oficial da União (DOU). É acender a luz da redação e fazer essa varredura, de forma crítica e até mesmo desconfiada, de modo que entrelinhas sejam captadas, a partir do corrente contexto político. Uma tarefa que cabe tanto a repórteres setorizados como a chefes de pauta. Afinal, é possível compreender, pelos atos divulgados, o que o governo está entregando à população, quais aliados beneficia, ao nomeá-los, quem é destituído de certos poderes, por ser exonerado de determinado cargo, e assim por diante.

Por isso, a Ouvidoria Cidadã da EBC decidiu destacar nesta análise o total de matérias publicadas na Agência Brasil que tratam da atuação da Força Nacional em terras indígenas, já que os povos indígenas têm sido uma minoria sistematicamente atacada pelo presidente Jair Bolsonaro. Conforme denunciou a 4ª edição do Dossiê de Censura e Governismo na EBC, quando as chefias não querem deixar escancarado o cerceamento ao trabalho dos repórteres, ordenando, com todas as palavras, que certo assunto não pode ser abordado, autorizam que a pauta até seja desenvolvida, mas na forma de nota ou, como chamam na Agência Brasil, de “registro”. No caso da presença da Força Nacional em territórios indígenas, é o que tem acontecido na maioria das vezes, com raras exceções, citadas logo abaixo.

A regra tem sido dedicar dois ou três curtos parágrafos, sempre versando sobre o texto publicado no DOU, nada mais. Uma das matérias, de julho, tem exatas 107 palavras e pouco mais do que 600 caracteres.

O que se constata é uma forma de manipulação, que se dá pela incompletude de informações que contextualizariam a violência a que estão sujeitos povos indígenas de diversos cantos do país. Ao mesmo tempo que o veículo deixa de escutar lideranças indígenas e tocar pautas que realmente interessam aos povos indígenas, no que concerne à proteção de seus direitos, ressalta, de modo incansável, a permanência ou chegada de agentes de segurança, para sustentar o discurso de que o governo federal faz algo por essa parcela da população. Quando o emprego da Força Nacional é noticiado em outros veículos da grande imprensa, é encontrado no meio do texto, não como lead, o fato principal.

Confira o levantamento nos meses de 2022:

 

Janeiro: não foi publicada nenhuma matéria.

 

Fevereiro: 2 matérias

– Força Nacional atuará em duas áreas indígenas de Mato Grosso (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/forca-nacional-atuara-em-duas-areas-indigenas-do-mato-grosso). Uma das únicas matérias que contém contextualização sobre os conflitos na região.

– MJ prorroga emprego da Força Nacional na Terra Indígena Nonoai (https://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2022-02/mj-prorroga-emprego-da-forca-nacional-na-terra-indigena-nonoai). Outra matéria que discute as circunstâncias do destacamento de agentes para a região, mencionando, inclusive, assassinatos de indígenas, denúncias feitas pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e um pedido apresentado ao Ministério Público Federal (MPF), para que tomasse providências.

 

Março: não foi publicada nenhuma matéria.

 

Abril: 1 matéria

– Força Nacional é acionada para ajudar a Funai em Mato Grosso (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-04/forca-nacional-e-acionada-para-ajudar-funai-em-mato-grosso). Aqui, o colega da Agência Brasil cita que “a área tem um histórico de invasões que resultaram em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela retirada dos não indígenas do território no ano passado, após quase 20 anos de disputa judicial.”

 

Maio: não foi publicada nenhuma matéria.

 

Junho: 2 matérias

– Força Nacional é autorizada a atuar em terra indígena no Pará (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-06/forca-nacional-e-autorizada-atuar-em-terra-indigena-no-para)

– Força Nacional vai apoiar a Funai em terra indígena no Pará (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-06/forca-nacional-vai-apoiar-funai-em-terra-indigena-no-para)

 

Julho: 2 matérias

– Força Nacional vai apoiar a PF em ações em terra indígena no RS (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-07/forca-nacional-vai-apoiar-pf-em-acoes-em-terra-indigena-no-rs)

– Atuação da Força Nacional traz segurança a terras indígenas (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-07/atuacao-da-forca-nacional-traz-seguranca-terras-indigenas). Esse texto foi feito não por conta de anúncio no DOU, mas por causa da participação do diretor da Força Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça e Segurança Pública, coronel José Américo Gaia, no programa A Voz do Brasil. O título até poderia ser usado se fosse uma menção a declaração do militar, mas, nesse caso, foi adotado pela Agência Brasil como verdade, algo inconteste, uma afirmação.

 

Agosto: 4 matérias

– Força Nacional vai apoiar a Funai em terra indígena no Amazonas (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-08/forca-nacional-vai-apoiar-funai-em-terra-indigena-no-amazonas)

– Força Nacional vai apoiar a PF em ações em terra indígena no RS (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-08/forca-nacional-vai-apoiar-pf-em-acoes-em-terra-indigena-no-rs)

– Ações do MS em terra indígena no Pará terão apoio da Força Nacional (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-08/acoes-do-ms-em-terra-indigena-no-para-terao-apoio-da-forca-nacional)

– Prorrogada presença da Força Nacional em terra indígena no RS (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-08/prorrogada-presenca-da-forca-nacional-em-terra-indigena-no-rs)

 

Setembro: 2 matérias

– Força Nacional vai apoiar a PF em ações em terras indígenas no RS (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-09/forca-nacional-vai-apoiar-pf-em-acoes-em-terras-indigenas-no-rs)

– Força Nacional vai apoiar a Funai em ações na Terra Indígena Apyterewa (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-09/forca-nacional-vai-apoiar-funai-em-acoes-na-terra-indigena-apyterewa)

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário