Um século depois da Semana de 22, os veículos públicos da EBC revisitaram e reinterpretaram o evento que pode ser considerado o marco do modernismo nas artes brasileiras. Entre os dias 13 e 20 de fevereiro, o centenário da Semana de Arte Moderna foi tema de reportagens e conteúdos especiais na Rádio MEC, Radioagência Nacional, Agência Brasil e na TV Brasil.

Os conteúdos foram além da simples celebração dos artistas que participaram da Semana ou que marcaram o movimento modernista brasileiro, trazendo o contexto da época com as vanguardas modernistas na Europa, os eventos que precederam a Semana de 22 e também as polêmicas pretendidas e alcançadas pelo movimento, cuja intenção era provocar os valores estéticos e convidar a sociedade à reflexão.

Também explicaram o conceito da antropofagia utilizado pelo movimento, que fazia um convite para que os artistas brasileiros aproveitassem o que havia de bom na produção cultural europeia, para produzir uma arte de vanguarda genuinamente brasileira. Lembrando também dos movimentos posteriores influenciados pelos modernistas, desde a Bossa Nova, o Cinema Novo até o Tropicalismo.

Um apanhado dos conteúdos publicados pelo jornalismo da EBC sobre o centenário da Semana de Arte Moderna foi publicado na Agência Brasil no dia 17 de fevereiro (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/semana-de-arte-moderna-veja-destaques-do-centenario). Uma boa forma de dar mais destaque ao material diferenciado produzido pelos profissionais da casa. Embora não traga todos os links.

 

Agência Brasil
Para a Agência Brasil foram produzidas quatro matérias especiais, publicadas entre domingo (13) e terça-feira (15). As entrevistas para as matérias da Agência Brasil e da Rádio Nacional foram feitas em conjunto, numa tentativa de apresentar a Semana de Arte Moderna num formato multimídia. Infelizmente os áudios e o texto acabaram não se unindo no site, tendo sido veiculados separadamente.

Exposição Era Uma Vez o Moderno [1910-1944] – Rovena Rosa

A primeira matéria publicada no site da Agência Brasil sobre a semana (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/exposicoes-e-eventos-celebram-e-rediscutem-semana-de-arte-moderna) apresentava uma série de eventos e exposições que acontecem em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Bahia e que celebram e rediscutem o centenário.

Ainda no domingo (13) foi publicada uma matéria que apresentava informações sobre como a semana foi concebida e em como sua importância foi construída historicamente, principalmente a partir dos anos 50, quando foi realizada a primeira Bienal de Arte (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/semana-de-arte-moderna-e-considerada-marco-mas-nao-iniciou-movimento)

Na segunda-feira (14), a terceira matéria para a Agência Brasil foi publicada, rediscutindo a importância da semana e problematizando questões como a falta de diversidade, o elitismo e a construção da semana com uma identidade paulista, embora o modernismo brasileiro não tenha ocorrido somente em São Paulo (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/centenario-e-importante-para-revisar-mito-da-semana-de-arte-moderna).

Já a última matéria, publicada na terça-feira (15), discutiu os legados da semana e as apropriações e revisões críticas do modernismo. Um dos exemplos desse legado foi a influência do modernismo brasileiro na literatura africana (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/centenario-rediscute-legados-da-semana-de-22).

 

Rádios
Na Rádio MEC, a série “Semana de Arte Moderna e o modernismo no Brasil”, veiculada ao longo da semana, mostrou as origens do movimento cultural, passando pelas influências europeias e o cenário artístico nas principais cidades brasileiras. Também mostrou os destaques do evento, textos e músicas apresentados durante a Semana, como a crítica recebeu a semana e a influência que ficou nos anos seguintes. A série de cinco episódio, com 55 minutos cada, foi agrupada em um link
(https://radios.ebc.com.br/especiais-radio-mec/2022/02/ouca-todos-os-episodios-de-semana-de-arte-moderna-e-o-modernismo-no), o que facilita o acesso a todo o conteúdo.

Theatro Municipal de São Paulo

Também na Rádio MEC, o programa Arte Clube, que vai ao ar na AM e na FM, trouxe uma série de entrevistas sobre o tema, com especialistas que trouxeram os fatos contemporâneos à Semana de Arte Moderna e os atuais. Infelizmente, não encontramos um post unificado com todos os conteúdos relacionados. As entrevistas podem ser conferidas nos seguintes links:
Arte Clube traz entrevistas especiais nos cem anos da Semana de 22: https://radios.ebc.com.br/arte-clube/2022/02/arte-clube-especial-semana-de-22
Oswald de Andrade é tema do Especial Semana Arte Moderna de 22 do Arte Clube: https://radios.ebc.com.br/arte-clube/2022/02/oswald-de-andrade-e-tema-do-especial-semana-arte-moderna-de-22-do-arte-clube
Arte Clube trata sobre legado do escritor Mário de Andrade:
https://radios.ebc.com.br/arte-clube/2022/02/arte-clube-fala-sobre-o-escritor-mario-de-andrade
Arte Clube: entenda a contribuição de Villa-Lobos para a Semana de Arte Moderna: https://radios.ebc.com.br/arte-clube/2022/02/villa-lobos-na-semana-de-arte-moderna-e-o-assunto-do-arte-clube
Uma revolução chamada Anita Malfatti: https://radios.ebc.com.br/arte-clube/2022/02/uma-revolucao-chamada-anita-malfatti

Na Rádio Nacional, o programete Viva Maria, de Mara Régia, trouxe a escritora e bordadeira Marilu Dumont para conversar sobre Tarsila do Amaral: https://radios.ebc.com.br/viva-maria/2022/02/viva-maria-traz-cores-caipiras-de-tarsila-do-amaral

A Radioagência Nacional produziu quatro matérias especiais, que trouxeram a polêmica que envolveu o evento na ocasião e os desdobramentos dela até hoje, incluindo a inspiração para intelectuais africanos na fase pré-independências dos países.

PARTE 1: Refazendo o cenário: São Paulo e a Semana de 22: https://agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional/cultura/audio/2022-02/especial-semana-de-arte-moderna-de-22-refazendo-o-cenario

PARTE 2: Qual o tamanho da revolução?: https://agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional/cultura/audio/2022-02/especial-semana-de-arte-moderna-de-22-qual-tamanho-da-revolucao

PARTE 3: A antropofagia nativa e o canibalismo dos brancos: https://agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional/cultura/audio/2022-02/especial-semana-de-arte-moderna-de-22-o-canibalismo-dos-brancos

PARTE 4: Antropofagia crítica africana: https://agenciabrasil.ebc.com.br/radioagencia-nacional/cultura/audio/2022-02/especial-semana-de-arte-moderna-de-22-antropofagia-critica-africana

 

TV Brasil
A TV Brasil apresentou duas reportagens no telejornal Repórter Brasil sobre a Semana de Arte Moderna:
https://www.youtube.com/watch?v=NU9V00EFXvI&list=PLuP7SQK7lt1YLJ96hmKFFal-5iYYE_PzZ&index=65

https://tvbrasil.ebc.com.br/node/178500

O programa Caminhos da Reportagem do dia 20 de fevereiro fechou com chave de ouro a semana, com o episódio Semana de 22: Cem anos de liberdade artística, que trouxe como tema de discussão “no centenário, a Semana de Arte Moderna continua influenciando” (https://tvbrasil.ebc.com.br/caminhos-da-reportagem/2022/02/semana-de-22-cem-anos-de-liberdade-artistica)

O episódio destaca que o evento rompeu com o conservadorismo e os integrantes queriam transformar São Paulo em um centro importante culturalmente. Lembrando que outros grupos pelo Brasil também discutiam o modernismo antes do evento.

É relembrada a importância que Tarsila do Amaral e suas obras tiveram no movimento, apesar de ela não ter participado da Semana, e que Mário de Andrade foi o responsável por conferir status artístico às obras da cultura popular brasileira, um dos princípios da antropofagia. Mesmo princípio que influenciou, quatro décadas depois, o movimento Tropicalista, que também buscava esse rompimento com o passado e a releitura da cultura nacional.

As entrevistas são entremeadas por poesia, boa parte declamada pela atriz e poeta slammer Luz RIbeiro, trazendo para a atualidade os reflexos do movimento de 1922.

Poeta slammer Luz Ribeiro – Reprodução TV Brasil

Muitas informações desse Caminhos também foram publicadas em formato multimídia pela Agência Brasil, mostrando os antecedentes, o evento e o legado do modernismo no país (https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2022-02/centenario-conheca-os-artistas-e-o-que-queriam-os-modernistas-de-22).

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário